Você consegue reconhecer a compulsão alimentar?

É preciso diferenciar os sinais, afinal nem todo episódio compulsivo configura transtorno.

Para quem ainda não conhece, a compulsão alimentar é a prática recorrente de comer excessivamente e de modo descontrolado em um curto espaço de tempo, além de ser em uma quantidade maior que o organismo realmente necessita, conforme define o Blog da Saúde. Além disso, os sentimentos de culpa ou arrependimento costumam acompanhar os episódios compulsivos. 

Segundo Rafael Marques Soares, nutricionista e pesquisador do Instituto de Pesquisa do Hospital do Coração de São Paulo, o primeiro ponto a ser esclarecido é que a compulsão alimentar é um sintoma que se manifesta como um comportamento de algumas doenças psiquiátricas, entre elas o Transtorno da Compulsão Alimentar (TCA).

Ele pontua que nem todo episódio de compulsão é considerado o transtorno em si. Pode acontecer de, em momentos específicos, existirem exageros alimentares, até compulsão mesmo, mas que por si só não configuram um quadro clínico. Essa diferenciação é importante porque esse sintoma, que faz parte do TCA, tem critérios de diagnóstico bem estabelecidos.

“Hoje com as redes sociais vemos pessoas que postam foto de dois brigadeiros e falam: ‘nossa, tive uma compulsão’. Ou que comeram duas fatias de pizza ou um pedaço a mais de bolo de aniversário. A partir daí, outras pessoas começam a se questionar se estão tendo uma compulsão por fazerem algo parecido. Por conta desses modismos dietéticos, por essa preocupação exagerada e até por algum desserviço que as redes sociais prestam, é preciso diferenciar bem o que pode ou não ser sintoma de doenças graves como, por exemplo, bulimia e TCA. Dissociar isso um pouco para que as pessoas não fiquem desnecessariamente culpadas ou preocupadas por estarem comendo normal”, explica.

Por isso, é importante ficar atento aos sinais, principalmente se a situação descrita lá no comecinho tem se tornado uma rotina na sua vida. Uma vez que pessoas com compulsão alimentar podem estar lutando para lidar com a tristeza, a raiva, o estresse, a ansiedade e outros sentimentos e emoções.

Compartilhe nas redes sociais!

Facebook
Twitter
Email
WhatsApp
Print

Noticias Recentes